Brasil, 26 de Julho de 2014

Caxambu e São Lourenço

Tamanho da letra
botao diminuir fonte botao aumentar fonte

Mapa da Região: 
Caxambu e São Lourenço

Doce deleite

 

Talvez existam mais tipos de doces do que número de esquinas nas cidades de São Lourenço e Caxambu. O tradicional doce de leite puro ou com chocolate, cocada com maracujá, com ameixa, compota de todas as frutas, paçoca, pé-de-moleque, goiabada, ambrosia, chuvisco e muito, muito mais. Cabe a frase feita: uma tentação a cada esquina!

As cidades, famosas por serem parte do Circuito das Águas de Minas Gerais, oferecem mais do que isso. São aqueles lugares onde o sossego está no ar, acariciando seus passeios, presenteando as horas com abundância de minutos, que rendem mais do que os calculados 60. Essa é a sensação, já que dá tempo de ir a todas as atrações, aproveitar os passeios, fazer boas refeições e ainda dar-se ao luxo de ter uma digestão tranqüila.

 

Emily Sasson
Imagem de um banco na beira de um bunito lago
Detalhe do Parque das Águas

 

Comece por escolher um bom hotel. Eles tendem a oferecer pensão completa e organizar passeios para os turistas. Cabe a você escolher o que quer ou não fazer. Mas uma coisa é certa, o seu dia vai começar muito bem, tomando um café da manhã caprichadíssimo, com pelo menos quatro tipos de bolos, geléias de todos os sabores, queijos variados, pães, frutas, sucos e o tradicional pão de queijo, tudo da região.

Reserve um tempo para o Parque das Águas. Tanto São Lourenço quanto Caxambu têm um. São lindos e muito bem cuidados. As preciosas fontes de vários tipos de água mineral ficam espalhadas pelo parque. Durante a caminhada, você as descobre bem a tempo de matar a sede. São águas que vêm diretamente da montanha e têm diferentes gostos: ferruginosa, vichy, gasosa, sulfurosa e alcalina, cada uma com prioridades terapêuticas específicas. Caxambu enche os pulmões para dizer que é o “maior complexo hidromineral do mundo”, com 12 fontes em seu Parque das Águas.

Uma brincadeira interessante pode ser descobrir que tipo de água mata melhor a sede depois de cada doce. Será que a sulfurosa é a mais indicada para beber depois do doce de leite? Ou será a vichy? Uma compota de figo pede uma gasosa? Com um pé-de-moleque, nada melhor que uma ferruginosa! Será? E para os que querem se aprofundar no relaxamento há um balneário, com banhos especiais, massagens e sauna. Valendo-se ou não desses cuidados, você sai revigorado do parque.

Para adocicar a vida ainda mais, vá às fábricas das delícias. Existem muitas, para todos os tipos de gostos e interesses.

 

Doces São Lourenço

 

Fundada em 1983 como uma fábrica bem artesanal, a Doces São Lourenço começou fazendo os produtos mais procurados da época: doce de leite e goiabada. As receitas eram copiadas das mulheres que faziam os doces de forma tradicional. Hoje, além da grande variedade de doces, de artesanal ela não tem nada.

A Doces São Lourenço virou uma das maiores fábricas da região. Para aqueles que têm um interesse no processo industrial, é ideal de visitar. Você vê de pertinho a enorme caldeira, os tachos cozinhando as frutas, o padronizador de leite, o processo de embalagem e o laboratório, onde são feitos os testes de controle de qualidade.

 

Imagem de um rapaz tirando o doce de leite do tacho
Doce de leite saindo do tacho

 

A São Lourenço foi a primeira a lançar no mercado a versão diet do doce de leite e, hoje, 90% das vendas são de produtos diet. Mas na loja, que fica junto à fábrica, é possível comprar todos os tipos de doces, dietéticos, light e tradicional.

 

Os artesanais Doces Diniz

 

Imagem da produção de doces artesanais
Doces Diniz: produção artesanal

 

Seguindo para o outro extremo, 100% artesanais são as coloridas frutas cristalizadas feitas pelo casal Carlos Sérgio e Ana Lucia Diniz. São tão caseiras que a Doces Diniz fica no quintal da casa. Os doces têm um ponto perfeito, a casquinha de fora é crocante e a calda com a fruta fazem o recheio ficar molhadinho. Eles têm a consistência certa para comer com a mão.

 

Imagem de doces artesanais com frutas crislatizadas
Os doces de frutas cristalizadas

 

Sérgio conta que cada fruta tem um processo, mas todos os doces demoram três dias para ficarem prontos. O doce de abóbora e mamão verde, por exemplo, precisa de água de cal virgem para criar a casquinha de fora. Já o de figo e o de laranja têm um procedimento um pouco mais simples. Cozinha-se a fruta até dar o ponto e depois é passar o doce no açúcar e se deliciar.  Quem quiser saber mais é muito bem-vindo na Doces Diniz.

 

Sabor da Roça

 

Para os adeptos da uma alimentação saudável, a melhor receita é a dos doces Sabor da Roça. São todos integrais, produzidos com açúcar mascavo, malte e cereais. Delfim Manoel da Silva, dono da fábrica, orgulha-se de sua paçoca integral. Ele conta que fez muitos testes até chegar à consistência e ao sabor ideais. É a campeã de vendas. As embalagens são pequenas, então, deve-se experimentar sem cerimônia as cocadas de vários tipos e o simbólico pé-de-moleque também.

 

Imagem de uma docera etiquetando os doces
Os Doces da Roça são produzidos com açúcar mascavo

 

A fábrica, que fica no Sítio Primavera, tem janelas de formato arabesco, inspiradas no Taj Mahal, e paredes coloridas. É um ambiente alegre e descontraído, assim como Delfim. Ele é vegetariano há 28 anos e leva uma vida, digamos assim, hippie. Seus três filhos - Selva, Oceano e Branda Luz - ajudam na administração e pode-se dizer que os doces são uma continuidade da filosofia de vida da família.

A fábrica é pequena, tem oito funcionários e fica um pouco afastada da cidade, há uns 15 minutos de São Lourenço. Não é difícil chegar, mas é bom ligar antes de ir para pedir as indicações do caminho, porque não há sinalizações na estrada.

 

Dutacho

 

Saindo de São Lourenço, na estrada de Caxambu, você encontra mais uma grande e importante fábrica: a Dutacho, com mais de 200 tipos de doces. A especialidade é a cocada com maracujá. Mas não se atenha a isso, escolha a sua. Entre os doces requintados estão o chuvisco e a ambrosia. Há ainda os doces em potes de vidro e toda uma linha de balas de leite. É produção em grande escala. A Dutacho está na boca do povo, literalmente. É uma das marcas preferidas e mais recomendadas. 

Endereços e telefones
Doces Diniz
Rua Raul Ramos da Costa, 22 – Porta do Céu, São Lourenço.
Tels: (35) 3331-1865 / 9983-1866.
Doces São Lourenço
Via Ramon, 684 – Monte Líbano, São Lourenço.
Tel: (35) 3332-3288.
www.docessaolourenco.com.br
Dutacho
Fábrica: Rodovia BR 267, Km 289.
Tel: (35) 3341-7094.
 Loja em São Lourenço:
Av. Dom Pedro II, 696 – Centro.
Loja em Caxambu: Rua Caetano Furquim, loja 8 – Centro.
Tel: (35) 3331-2178.
Sabor da Roça
Sítio Primavera – Bairro Poços, Soledade, São Lourenço.
Tel: (35) 3332-4585.
 

 

Cadastre-se e receba nosso informativo

Compre já o livro Roteiros do Estado do Rio de Janeiro